top of page

Blog Dois Pernods

O Ser Ator

Atualizado: 7 de nov. de 2022


Um dia me perguntaram "o que é ser ator?" Eu respondi que ser ator é muito mais que ser; muito mais que sentir, que viver. Ser ator é muito mais que se conhecer; que se achar e se perder. E então o filme da minha vida inteira passou na minha cabeça. Revivi cada frame de cada luta, de cada batalha e de cada dificuldade que enfrentei, ali mesmo sentado à mesa. Depois de tudo que revivi é que percebi quão tamanha é a pretensão de quem quer ser ator sem antes olhar para o chão.


E foi então que pensei: Que tipo de ator pode ser aquele que não se iguala a quem lhe acompanha, querendo se julgar a esses superior? Que tipo de ator pode ser aquele que se deslumbra com a fama ou com qualquer conquista que lhe dê um pouco de destaque, de glória ou aclamação; que não se repara a cada instante e não avalia seu eu, mesmo que em sua estante, procurando até entre os versos de Dante, algo que novamente o faça entender, que para compreender a complexidade de ser, é preciso abrir mão de tudo o que se é de verdade para o outro perceber?


O que é ser ator? Será somente estar sobre um palco ou em cena num set de gravações? Será somente sentir-se alvo do amor e da dor que interpreta e, vendo o júbilo e a desgraça nas suas próprias vitórias e derrotas, na comédia ou na tragédia, não conseguir enxergar além do dourado e do negro alguma outra cor? Será também conseguir sentir de si somente pena nos momentos de extrema dificuldade, enquanto segue implorando arduamente ao público o seu riso, o seu aplauso ou a sua lágrima como prova de toque ou da sua própria "sumidade"?


O ser ator é antes de tudo aquele que entende que, além de viver, é preciso se abrir totalmente e compartilhar o que há de melhor em si com o outro. E isso, deveria se dar não somente no palco ou no set quando está com o(a) companheiro(a) diante das câmeras, posto que o que não é genuíno na vida, em cena, não vale a pena.


Ser ator é respirar o amor: O amor pelo espetáculo e por todas as cenas; amor por quem está com ele no palco ou no set de gravações, fazendo da troca o caminho constante e eficaz para cada nova obra que se constrói sempre em conjunto. O ser ator é aquele que há de tornar as trevas dos olhos do público em focos de luz e beleza plenas.


Encontrando a reposta nesse amor à partilha e à generosidade, respondo a mim mesmo e a qualquer um com profunda sinceridade: Ser ator é não viver em clandestinidade!


É permitir-se, através da humildade, infiltrar-se na vida de outros e abrir as portas para que a vida dos outros seja a nossa faculdade. Ser ator é ser amor e generosidade; é ter calor e, acima de tudo, humanidade. É nunca entender-se como ser sublime, mas simplesmente como aquele que exprime... E imprime e imprime.


155 visualizações24 comentários

Posts recentes

Ver tudo